Quarta-feira, 14 de Setembro de 2005

observações

O carro seguia à minha frente.
Casal novo, na ordem dos vinte e poucos anos, quem conduzia era ela.
Discussão que estala dentro do carro (provávelmente machismos recalcados)
Ele traça no ar uma linha horizontal com a mão, sinal de tudo acabado, sai batendo com a porta.
Afasta-se de punhos cerrados, o corpo tenso.
Ela fica por segundos parada, inclina a cabeça para a frente com as lágrimas a correr pela cara.
Finalmente mete a primeira e arranca devagar.
Vejo-a levar a mão ao rosto para limpar as lágrimas.
Quando ultrapasso o carro olho para ela
Olhos tristes, doridos.
O amor é f...
publicado por maratonista às 14:16
link | comentar | ver comentários (3) | favorito
Terça-feira, 13 de Setembro de 2005

Crónica do dia

Fim de dia. Ufa.
Hoje saí de manhã até Coimbra, mátria minha, para tratar de assuntos familiares. Acabei por almoçar num local que não conhecia. Junto ao rio construiram umas docas e criaram um espaço absolutamente encantador. O restaurante onde comi (A Taberna) era bastante bom e caro) estava ao nível do rio e a cerca de dez metros deste. Comi uma cataplana rica de peixe, empurrada por meia garrafa de um branco duriense fresquinho. Valeu a pena. Almoçar assim, com o rio ao pé e uma refeição de eleição, é algo que aquece a alma que bem precisada anda.
publicado por maratonista às 20:28
link | comentar | favorito
Segunda-feira, 12 de Setembro de 2005

Crónica de fim-de-semana

Ontem, Domingo, lá fomos de abalada para a bonita cidade de Viseu correr mais uma meia-maratona. A meia-maratona internacional de Viseu fazia 25 anos e é sempre de apoiar quem tenta e e consegue pôr de pé um prémio de atletismo durante tantos anos, neste caso o Grupo Desportivo "Os Ribeirinhos". Prova decorrida em percurso fortemente acidentado, com muitas subidas e descidas. Fui acompanhado durante a prova toda por dois autênticos "pontos" que faziam rir a assistência, normalmente andam mais lá para a frente da corrida mas ontem dicidiram ir mais nas calmas. A parte final da prova foi feita em companhia da mais idosa atleta presente, nem mais nem menos que uma jovem senhora de 53 anos que, pasmem-se, ainda consegue fazer 1 hora e 38 minutos aos 21 quilómetros. Grande mulher. No entrega de prémios que decorreu na Casa da Ribeira teve direito a um prémio especial por ser a atleta mais idosa.
publicado por maratonista às 09:33
link | comentar | ver comentários (3) | favorito
Quinta-feira, 8 de Setembro de 2005

recordações do Alekhine

Antes do atletismo o desporto que praticava era o xadrez. Através do meu CCD participei nalguns campeonatos para trabalhadores integrado na equipa do CCD na qual era o 1º tabuleiro. Hoje resolvi trazer-vos uma pequena história de xadrez contada por Leonardo Ferraz de Carvalho no jornal Independente em 1977.

“Conta-se que uma vez o Alekhine (que foi campeão do mundo e morreu no Estoril, engasgado com um osso de galinha) ia num comboio com o seu pequeno jogo portátil a estudar umas combinações e um companheiro de carruagem, sem o reconhecer, o desafiou para jogar. Alekhine, que era um entusiasta, disse imediatamente que sim e tirou logo duas torres das suas peças. «Mas o que é isso?», perguntou o surpreendido companheiro de viagem. «É a vantagem que lhe dou, para o jogo ter graça», respondeu o campeão. «Mas como sabe que me pode dar essa vantagem, se não me conhece?», retorquiu o outro, abespinhado. «É justamente por isso. Por não o conhecer», explicou delicadamente Alekhine. E claro que tinha razão.”

Para quem quiser conhecer mais alguma coisa da passagem de Alekhine por Portugal visite este saboroso texto:

Recordações da primeira visita a Portugal

publicado por maratonista às 19:54
link | comentar | favorito
Quarta-feira, 7 de Setembro de 2005

Morcegos

Através da revista Única, do jornal Expresso, soube de algo muito interessante. A implosão da torre T04 de Tróia veio trazer um problema que técnicos do ICN (Instituto de Conservação da Natureza) esperam ter solucionado mas que só o tempo confirmará. Na torre vivia uma espécie rara de morcego, o morcego rabudo. A solução foi construir um morcegário onde se espera que esses ratinhos voadores consigam sobreviver. Este interessantíssimo artigo da Única, da autoria de Mónica Fonseca com fotografias de Pedro Lemos Vieira, vem demonstrar que os animais acabam por se adaptar (pelo menos até ao presente) dentro do habitat humano. As torres de Tróia foram construídas nos anos 70, sendo, portanto um facto recente. Segundo o texto “É no «esqueleto» das varandas, umas placas que revestem o exterior, que se abrigam três espécies de morcego: morcego pigmeu, morcego hortelão e morcego rabudo. Também exemplares da espécie morcego orelhudo cinzento já foram avistados”. (Poupei-vos os nomes ciêntificos). Junto com os morcegos haviam outras espécies, neste caso aves: Andorinhão pálido, Rabirruivo pálido, Pardal comum, Pombo doméstico e Alvéola branca.

publicado por maratonista às 19:45
link | comentar | ver comentários (2) | favorito
Terça-feira, 6 de Setembro de 2005

um tocador de apitos

É pá. E não é que Valentim Loureiro, "tocador de apitos" como lhe chamava o saudoso Pantanero, tem um blogue de campanha aqui no sapo. Por acaso o último post do Pantanero foi sobre uma medida da câmara de Gondomar onde preside este "tocador de apitos". Mas pronto, tudo bem, todas as casas tem de ter um caixote do lixo. De preferência reciclado. Quer-se dizer: podiamos reciclar o homem em presidiário. O fato às riscas até lhe deve ficar bem.
publicado por maratonista às 19:52
link | comentar | ver comentários (2) | favorito

por agora

O Sapo anda outra vez com fanicos.
Alguns comentários que deixei em blogues amigos desapareceram.
Sei lá. Deve ser da mudança do tempo. Ou então experiências.
Entretanto, com Nova Orleans ainda debaixo de água, vou pegar num velho disco de vinil do Fats Domino e deixar que ele rode no prato do velho gira-discos.
publicado por maratonista às 10:34
link | comentar | ver comentários (1) | favorito
Segunda-feira, 5 de Setembro de 2005

aiar

Raios!
Porque é que existes?
Porque é que te revelaste assim? A mim.
Porque é que és mulher?.
Porque é que eu pergunto
se nenhuma resposta me contentará?
Olhar-te nos olhos
foi o meu maior erro.
O olhar traiu o meu coração.
Não vou dizer:
"Pára coração, deixa de bater."
Mas direi:
Vai bater a outra porta.
publicado por maratonista às 09:44
link | comentar | ver comentários (2) | favorito
Quinta-feira, 1 de Setembro de 2005

Apelo do IPO

Via Jornal de Letras está aqui um apelo do IPO (Instituto Português de Oncologia):

O Instituto Português de Oncologia (telefone: 217626785) apela à doação de cassetes de VHS ou DVD de todos os géneros de filmes, mas sobretudo comédias e destinadas a um público infanto-juvenil. «A falta de stocks torna necessária a ajuda da população» - afirma um porta-voz do IPO, chamando a atenção para a importância da distração em doentes que passam dias inteiros numa cama de hospital. Muitos desses doentes, incluindo crianças - acrescenta -, são pobres e não têm possibilidades de trazer cassetes consigo, daí a razão do apelo.

publicado por maratonista às 19:41
link | comentar | ver comentários (1) | favorito

Paula Rego

paula rego salazar.jpg

Esta pintura de Paula Rego chama-se Salazar a Vomitar a Pátria.
publicado por maratonista às 14:51
link | comentar | ver comentários (1) | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Junho 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Sol & Sombra

. blue Wine

. O Monsto do Espaço

. the day after

. uma pausa

. trabalho infantil

. está calor, não está?

. gaspacho amim, gaspacho a...

. bizantinice

. so beautiful to me

.arquivos

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds